Posts anteriores

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

A JBS (JBSS3) teve lucro líquido de 323 milhões de reais no terceiro trimestre

A adesão da JBS ao Programa Especial de Regularização Tributária -- o chamado Refis -- fez o lucro da empresa recuar no terceiro trimestre deste ano, apesar do desempenho operacional recorde no período.


Resultado de imagem para jbs
No terceiro trimestre do ano, o lucro líquido da JBS somou R$ 323 milhões, queda de 63,6% ante os R$ 887 milhões do mesmo intervalo de 2016. Não fosse o Refis, o lucro da JBS teria mais do que dobrado, atingindo R$ 1,9 bilhão, informou ontem a empresa. No período, a receita líquida da JBS ficou praticamente estável -- leve queda de 0,1% --, em R$ 41,1 bilhões.

A processadora de carne de frango americana Pilgrim's Pride, controlada pela JBS, divulgou um lucro líquido de US$ 232,68 milhões no terceiro trimestre deste ano. O valor é 135,84% superior ao obtido no mesmo período do ano passado, quando a empresa reportou lucro líquido de US$ 98,66 milhões.

Em setembro passado, a JBS anunciou que vendeu sua participação acionária na Moy Park, uma das principais processadoras de alimentos na Europa, por cerca de US$ 1 bilhão para a Pilgrim's Pride. Com os recursos, a JBS vai amortizar dívida de curto prazo no Brasil, melhorando o perfil do seu endividamento.

Resultado de imagem para jbs
De acordo com o balanço da Pilgrim's, as vendas líquidas atingiram US$ 2,793 bilhões no trimestre, alta de 11,94% em relação ao trimestre anterior. Segundo Bill Lovette, presidente da companhia, as operações foram "robustas" nos Estados Unidos e superaram as expectativas no México.

“Apesar da maior disponibilidade de proteína alternativa, houve forte demanda por frango e é esperada continuação deste consumo nos mercados americano e internacional”, afirmou Lovette.

Sobre a aquisição da Moy Park, anunciada em 11 de setembro, o executivo demonstrou otimismo, “as novas operações européias se alinham com nossas prioridades estratégicas de expansão geográfica e de marcas, além disso, acreditamos que temos o método e a equipe para continuar a crescer a lucratividade de nossos negócios na Europa".
Resultado de imagem para jbs
A JBS teve lucro líquido de 323 milhões de reais no terceiro trimestre, queda de 64 por cento sobre o resultado de positivo de um ano antes, impactada por adesão a programa de refinanciamento de dívidas e queda de desempenho no Brasil, segundo balanço da processadora de carne divulgado na noite desta segunda-feira.

A companhia, cujos acionistas controladores estão presos e é dona de marcas como Seara, Friboi e Swift, informou que os resultados no Brasil não foram acompanhados de revisão por auditor independente uma vez que a empresa aguarda o fim da investigações relacionadas ao acordo de leniência entre a holding J&F e o Ministério Público Federal.

Apesar disso, a empresa afirma que o balanço de suas unidades no exterior, que compõem 75 por cento da receita consolidada do grupo, foram auditados.

No balanço, a JBS cita que é investigada em sete "procedimentos criminais", operações da Polícia Federal -Greenfield, Sepsis, Cui Bono, Bullish, Carne Fraca, Lama Asfáltica e Tendão de Aquiles. Além disso, a empresa é citada em duas CPIs no Congresso e quatro ações populares e uma societária aberta pelo BNDES e Caixa Econômica Federal.
Resultado de imagem para jbs
Segundo a JBS, a empresa teria tido lucro líquido de 1,9 bilhão de reais no terceiro trimestre, não fosse a adesão ao programa de refinanciamento de débitos tributários da União no valor de 4,2 bilhões de reais. A empresa informou na semana passada que essa adesão traria um impacto negativo no lucro líquido do terceiro trimestre de 2,3 bilhões de reais e uma economia total de 1,1 bilhão.

No terceiro trimestre do ano passado, a JBS havia lucrado 887 milhões de reais.

A companhia apurou um lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de 4,32 bilhões de reais, alta de 37 por cento na comparação anual, impulsionada em resultados melhores de divisões de aves, bovinos e suínos nos Estados Unidos, e na de alimentos processados e aves Seara.
Resultado de imagem para jbs
"Como já havia dito, está só no começo", afirmou o CEO da JBS USA, André Nogueira. À frente de negócios que respondem por 75% das vendas da JBS, o executivo acredita que, em 2018, as operações americanas devem bater novo recorde, uma vez que a demanda por carne deve seguir aquecida nos EUA, ao passo que o preço do boi cairá de 2% a 3%, de acordo com as projeções do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA).

Além disso, o negócio na Austrália, que ainda enfrenta um cenário mais difícil devido à retenção do rebanho bovino, deve melhorar ao longo de 2018, ressaltou Nogueira.

Afora os fundamentos positivos de oferta e demanda previstos para 2018, a JBS também vislumbra ganhos de eficiência nas operações internacionais. "Ainda temos uns US$ 500 milhoes de melhoria interna [para realizar]", disse Nogueira.

No Brasil, o terceiro trimestre consolidou a recuperação da Seara, subsidiária que foi bastante afetada em 2016 pelo milho mais caro. Entre julho e setembro, a margem Ebitda da Seara atingiu 11,1%, ante os 7,3% vistos em igual intervalo de 2016.
Resultado de imagem para jbs
Mas as operações com bovinos no Brasil, tiveram baixa de quase 79 por cento no Ebitda, com a receita recuando 24 por cento. A empresa afirmou no balanço que o desempenho foi causado por venda das operações de carne bovina na Argentina, Paraguai e Uruguai, bem como redução de 17 por cento no volume de animais processados no Brasil na comparação com o terceiro trimestre do ano passado. Além disso, houve redução no volume de exportações.

"A companhia tem focado nos canais e cortes mais rentáveis, valorizando o mix de produtos, o que proporcionou um aumento de 11,7 por cento no preço médio de venda da carne in natura", afirmou a JBS.

Mais cedo, a rival Marfrig divulgou que encerrou o terceiro trimestre com prejuízo de 58 milhões de reais, redução ante resultado negativo de 156 milhões registrado um ano antes. A empresa citou aceleração de expansão de unidades no Brasil, incluindo algumas que haviam sido fechadas anteriormente.

A JBS terminou setembro com uma relação de endividamento líquido de 3,42 vezes Ebitda ante 4,16 vezes no fim de junho. Um ano antes, a alavancagem divulgada foi de 4,32 vezes.

A dívida líquida caiu quase 5 bilhões de reais do segundo para o terceiro trimestre, com a empresa concluindo em setembro a venda da Moy Park na Europa para sua unidade nos EUA Pilgrim's Pride por 1 bilhão de dólares..

A porcentagem da dívida de curto prazo em relação à dívida total ficou em 27 por cento no terceiro trimestre, dos quais 73 por cento são linhas lastreadas às exportações de unidades brasileiras.
Resultado de imagem para jbs
Na contramão da Seara, o negócio de bovinos no Brasil confirmou as estimativas pessimistas do mercado. No terceiro trimestre, o Ebitda da divisão totalizou R$ 72,5 milhões, redução de 78,6%. A margem Ebitda foi de apenas 1,4%, ante 5% no mesmo período de 2016.

Dentre todas as operações da JBS, a de carne bovina no Brasil foi a mais afetada pela delação dos controladores da empresa, gerando resistência nos pecuaristas e forte queda nas vendas -- 31,4% no Brasil e 13,7% na exportações. 


Questionado, Tomazoni disse que pior momento já passou e que uma recuperação "gradual" está em curso. Ele ponderou que o negócio no Brasil só é responsável por 12% da JBS. "Essa é a vantagem de ter uma empresa diversificada", disse.


Na área financeira, a robusta geração de caixa e as vendas da Moy Park e dos ativos no Mercosul permitiram uma redução de R$ 4,8 bilhões na dívida líquida. O índice de alavancagem caiu de 4,16 vezes em junho para 3,42 vezes em setembro. É a menor alavancagem entre as companhias de carnes listadas na B3.
Resultado de imagem para jbs
O processo de desalavancagem seguiu neste trimestre, com a entrada de R$ 786 milhões da venda da Vigor à Lala. Além disso, o CEO da JBS USA espera anunciar ainda este ano a venda da Five Rivers, nos EUA.

A adesão ao Refis gerou um impacto de R$ 2,3 bilhões no caixa da companhia. Do total, R$ 1,8 bilhão foi registrado como despesa administrativa e R$ 927 milhões como resultado financeiro.

Houve um ganho de R$ 436 milhões com imposto de renda diferido, também resultado da inclusão.

Com o benefício, a empresa conseguiu triplicar o caixa livre, ou seja, a quantidade de dinheiro que gerou em vez da que gastou, para R$ 3,2 bilhões em relação ao trimestre do ano anterior. A dívida líquida encolheu R$ 4,8 bilhões para R$ 45,5 bilhões.

Como consequência, a alavancagem caiu de 4,16 vezes, no segundo trimestre, para 3,42 vezes no terceiro.

Resultado de imagem para jbs
O endividamento total da companhia ficou composto por 27% de dívidas de curto prazo e 73% de longo –a maioria dessa lastreada às exportações das unidades brasileiras.
As dívidas em dólar ainda tem um forte peso para a empresa e equivalem a 94% do total devido.


A receita da empresa de julho a setembro ficou estagnada em R$ 41,1 bilhões. As exportações representaram 27% do total de vendas globais da companhia.

Entre as unidades de negócios, a JBS Brasil foi a que apresentou maior recuo de receita no terceiro trimestre, uma queda de 24,4%. O ebtida despencou 78,6% para R$ 72,5 milhões no período.
Resultado de imagem para jbs
O recuo foi atribuído à venda das operações de carne bovina na Argentina, Paraguai e Uruguai, a primeira fechada pela empresa desde os escândalos de corrupção envolvendo o governo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários...